10 atitudes para ajudar no desenvolvimento da fala e linguagem das crianças

Os pais desempenham um papel fundamental no desenvolvimento da linguagem da criança. Há muitas maneiras de estimular esse desenvolvimento com atividades, brincadeiras, gestos, entre outras. 

Essa estimulação, não apenas os ajudarão a adquirir suas primeiras palavras, mas também facilitarão algo tão importante no ser humano quanto a comunicação.

Neste artigo você encontrará as etapas pelas quais as crianças passam no processo de aquisição da linguagem, além de dicas para estimular o desenvolvimento da fala e linguagem do seu filho. Vamos conhecer?

Etapas do desenvolvimento da linguagem da criança 

Cada criança tem suas particularidades, mas, em geral, há etapas semelhantes a serem cumpridas de acordo com a idade e o desenvolvimento cognitivo, conforme exemplificaremos:

0 a 12 meses

  • É o estágio “pré-linguístico”. A criança não usa palavras, é um estágio preparatório da linguagem como a conhecemos.
  • A criança se comunica com as pessoas. Chora se está com fome, com frio ou se a fralda precisa ser trocada, sorri socialmente, vocaliza e grita para exigir que seja atendida.
  • É hora do choro diferenciados. A mãe é capaz de entender cada uma das suas mensagens. Ela sabe se o choro é por causa da fome ou do frio, já que em cada caso existem nuances diferentes.
  • A criança brinca com os sons. Com o passar dos meses, a criança aprende a pronunciar vogais e algumas consoantes como por exemplo; “papapa”, “mamama” e “padada”.
  • No final dessa etapa a criança participada do diálogo e pode repetir e produzir algumas palavras simples como “mimi” e “papa”. 

12 a 24 meses 

  • Nesse período, a criança entende as ordens e as cumpre
  • É capaz de usar palavras simples. Geralmente, são substantivos que se referem a objetos conhecidos.
  • Aponta figuras ou objetos nomeados pelos pais e faz pequenas intervenções a respeito de uma história curta que esteja escutando.
  • Reconhece o próprio nome e apelido, respondendo quando é chamada.
  • crianças que chegam ao final desse período com um domínio muito bom de vocabulário e estruturas linguísticas. Essa evolução depende, em grande parte, do estímulo que ela recebe das pessoas ao seu redor.

2 a 6 anos

  • Nessa fase a criança irá combinar palavras em frases simples e elas vão se tornar cada vez mais complexas e melhor estruturadas até chegar a narrativa com maior organização. 
  • Até os 6 anos, a criança ainda pode apresentar alguns problemas na produção de grupos consonantais, como por exemplo em “prato” – “pato”. 
  • O nível de compreensão também se desenvolveu, e, além disso, a criança inicia e matem a conversação por muitos turnos, com vários interlocutores, sobre temas abstratos.

Você sabia que pode colaborar – e muito – com o desenvolvimento da linguagem do seu filho? 

Pois é, a participação da família nos primeiros anos de vida da criança é fundamental para ajudá-la a desenvolver sua fala

Veja abaixo 10 dicas que podem ajudar você a estimular a fala do seu filho:

  1. É muito importante conversar bastante com a criança desde o nascimento, por isso, aproveite os momentos como a hora do banho, de vestir, das refeições, brincadeiras e passeios, para estimulá-la, dizendo o nome e as funções ou qualidades dos brinquedos, objetos, partes do corpo, alimentos. 
  2. Ao conversar com a criança, busque ficar mesma altura e olhe para ela. 
  3. Com crianças menores, utilize palavras simples e frases curtas.
  4. Pronuncie corretamente as palavras, usando boa articulação e entonação. Evite falar de forma infantilizada, utilizando diminutivos, ou pedir para que ela repita palavras. 
  5. Dê a criança oportunidade para falar. Não atenda prontamente quando ela tentar se comunicar por meio de gestos, mesmo que você saiba o que ela deseja. Você pode perguntar a criança, por exemplo, se ela quer água e aguarde até que ele responda.
  6. Reforce de forma positiva qualquer tentativa de fala da criança, mesmo que a palavra seja produzida de forma incorreta.
  7. Quando a palavra for produzida de forma incorreta, devolva a criança de maneira correta, como por exemplo, a criança pede “neca” você pode responder “Você quer a boneca?”.
  8. Não fale o tempo todo com a criança, deixe espaço na conversa para que ela tenha oportunidade de responder a sua maneira. 
  9.  Conte histórias, cante músicas, leia livros, explore os objetos e sons do ambiente. A criança aprende e desenvolve as habilidade de fala e linguagem a partir dos estímulos e modelos que recebe desde o nascimento. 
  10. Procure o fonoaudiólogo quando tiver dúvidas quanto ao desenvolvimento de linguagem e fala da criança. Não se deixe levar pela crença de que a criança amadurecerá, e com o tempo irá a aprender a se comunicar melhor. Muitas crianças podem precisar de ajuda nesse processo e quanto antes iniciar o processo de terapia direcionada ao desenvolvimento de linguagem, melhor e mais rápidos serão os resultados evitando assim que essa dificuldade possa atrapalhar a aquisição de leitura e escrita, por exemplo.

Fonoaudiologia: como ela pode ajudar o meu filho? 

Muita gente acredita que os fonoaudiólogos trabalham apenas com crianças que “falam errado”. 

Embora isso seja comum, na prática clínica, o profissional pode fazer a diferença em muitas situações que vão desde um atraso de fala e linguagem, passando por dificuldades de leitura e escrita, gagueira, autismo, síndromes, malformações craniofaciais, paralisia cerebral, dentre outras.

É importante ressaltar que o fonoaudiólogo é o profissional responsável pela avaliação, diagnóstico e intervenção nos transtornos de fala e linguagem. Ele ajuda a pessoa e encontrar e utilizar a melhor maneira de se comunicar de forma funcional. A comunicação pode ser efetiva de diferentes formas, sendo assim, além da linguagem falada, o fonoaudiólogo poderá lançar mão de outros recursos como, por exemplo, a comunicação alternativa. 

Curso de Aprimoramento em Linguagem Oral Infantil

Esse curso tem como objetivo atualizar e aprimorar o conhecimento dos fonoaudiólogos a respeito das intervenções em Linguagem Oral Infantil.

O curso foi delineado de forma a ter atividades síncronas e assíncronas, todas com acompanhamento intenso dos professores de cada módulo e de um tutor capacitado a tirar dúvidas, orientar, complementar as atividades e engajar a participação dos alunos. 

O Aprimoramento é dividido em 12 módulos, sendo que cada módulo tem duração de um mês e carga horária de 10 horas. Todos ele são compostos por videoaulas, materiais complementares, fóruns de discussão e outras atividades.

Informações adicionais podem ser encontradas no site www.tkead.com.br. Caso haja dúvidas ou sugestões, favor entrar em contato pelo e-mail: contato@tk-ead.com.br ou pelo WhatsApp: (14) 98199-4445

Este texto foi útil para você? Então não se esqueça de compartilhar com seus amigos.

Deixe um comentário

× Como posso te ajudar?
Rolar para cima